quinta-feira, 16 de maio de 2013

RN TIRA 624 MIL DA EXTREMA POBREZA

De fato
 
O Governo Federal se empenha na erradicação da extrema pobreza, área na qual os avanços o Brasil tem mais projeção internacional.

No Rio Grande do Norte, esse progresso se intensificou desde o lançamento do programa Brasil sem Miséria em 2011. Segundo informações divulgadas neste mês pela Presidência da República, 624 mil potiguares estão em uma situação econômico-social mais digna desde então.

O plano consiste na ampliação do programa anterior de combate à pobreza, o Bolsa Família.
Em Mossoró, as mudanças provocadas pelos programas sociais – como, além dos citados, o Minha Casa Minha Vida – podem ser vistas facilmente nas áreas periféricas da cidade.

Em bairros como o Inocop (zona leste), o mercado imobiliário cresceu rapidamente e, com ele, vem algumas melhorias urbanas.

Mossoroenses antes marginalizados agora têm acesso a televisores de qualidade, automóveis, computador, internet e universidade.

“Contribuiu muito para melhorar minha vida. Quando você participa de um programa social, tem condições de fazer coisas que antes não dava”, diz a comerciante Regina Andrade, que três filhos e participa do Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida.

Para ela, o primeiro tem lhe auxiliado em dar educação mais apropriada para seus filhos, visto que, com o dinheiro, ela tem condições de investir em material escolar ou de dar a eles condições de ir à aula com lanche e transporte garantidos.

“Eu recebo 30 e poucos reais por cada um. Pode parecer pouco, mas ajuda muito. Uso como se fosse uma mesada. Recebo e dou para eles”, comenta.

Com o Minha Casa Minha Vida, Andrade teve condições de sair da casa da sogra, onde morava havia anos, e melhorar a qualidade de vida: “Mudou minha vida 100%, foi uma bênção. Mudou o social, pessoal, tudo. E, antes, eu nunca ia ter condições de comprar minha casa própria.”

Nem tudo são flores, conta a vendedora – há dificuldades maiores, por exemplo, para fazer empréstimo –, mas o esforço é compensado.

Com o Brasil sem Miséria, o Governo quer levar tais melhorias para pessoas ainda mais pobres, que passaram a receber um benefício complementar que lhes garante renda superior a R$ 70,00 mensais por pessoa, independentemente da composição familiar.

Em 2012, foi lançado ainda o Brasil Carinhoso, que integra o Plano Brasil sem Miséria e no qual toda família com pelo menos uma criança de zero a seis anos receberá renda mensal de no mínimo R$ 70,00 por pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário