sexta-feira, 9 de agosto de 2013

PRÓ-SERTÃO FIXARÁ 360 CONFECÇÕES NO INTERIOR DO RN


Geração de emprego e renda no interior do Estado. É essa a proposta no programa Pró-Sertão, lançado na manhã do dia 5, pelo Governo do RN. Presentes na solenidade estavam prefeitos e empresários que vão desenvolver um trabalho conjunto de acordo com as vocações industriais de cada município. Ao longo de quatro anos, o projeto prevê a instalação de 360 fábricas de pequeno porte no interior do Rio Grande do Norte.

A indústria Guararapes se prepara para fixar 300 pequenas facções têxteis, e a Hering, outra empresa do setor, pretende instalar 60 unidades fabris no RN. A previsão inicial é de que o Pró-Sertão consiga gerar aproximadamente 20 mil empregos diretos, produzindo 150 mil peças por dia. De acordo com levantamento feito pelas instituições parceiras, o RN pode atingir, no período de 2013 a 2018, uma ampliação mercadológica significante no setor de confecções.

O projeto também está focado na qualificação da mão de obra produtiva e na melhoria da gestão empresarial, por isso, o Pró-Sertão irá receber um apoio articulado por parte de instituições parceiras como Sebrae/RN, Fiern, Fecomércio e Banco do Nordeste. "Temos um processo de responsabilidades coletivas, para que esse projeto funcione efetivamente. Estamos cansados de escutar que o RN é um Estado potencialmente rico. Vamos tirar as pedras no caminho e deixar de ser potencialmente para passar a ser real e definitivamente rico. Vamos movimentar a economia no interior do Estado e fixar o homem no campo", destacou do superintende do Sebrae/RN, Zeca Melo.

Flávio Rocha, empresário e diretor-presidente do Grupo Guararapes, parabenizou a iniciativa do Governo do Estado: "Faz todo sentido estratégico a descentralização da indústria têxtil no RN, assim podemos transformar toda essa vocação presente no Estado. Sinto-me hoje extremamente feliz com a proximidade da realização deste sonho", afirmou ele.

O Governo vai incentivar o setor privado por meio de diminuição de impostos estaduais, por meio do Proadi. O presidente da Fiern, Amaro Sales, destacou a importância desta ação: "Temos muitos problemas no interior do Estado, um deles é a falta de empregos. O Pró-Sertão tem tudo para dar certo, pois vai resolver parte deste problema. Será mais fácil fixar as unidades de facção. Será a indústria solucionando essa situação no interior". O Mural de Riacho da Cruz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário