domingo, 28 de dezembro de 2014

CONFIRA DICAS E ESTABELEÇA SUAS METAS PARA 2015


Matéria exclusiva - Mais um ano chegou ao fim, mais um ciclo se encerrou. A hora é de refletir sobre o que passou, traçar metas para o próximo ano e comemorar a chegada do novo período. A psicóloga Paula Cordeiro, do Instituto de Psicoterapia e Análise do Comportamento (PsicC) em Londrina, destaca que o encerramento de um ciclo é algo subjetivo, mas que nessa época do ano as pessoas comumente avaliam o que planejaram para o período que passou – e se os planos se concretizaram – e aproveitam para estabelecer resoluções para o próximo ano.

"Nessa época temos a sensação de que uma nova chance de realizar nossos objetivos está começando. É uma questão prática, cultural", observa Paula. Ela frisa, porém, que sempre é possível se dar a chance de começar, independentemente do período do ano. "Não há dia ou época determinada para começar a trilhar caminhos em buscas de nossos sonhos e objetivos".

Mas, já que um novo ano começa, é natural que se faça alguns planos e trace algumas metas. E para cumprir com as resoluções ou mesmo evitar frustrações, a psicóloga sugere que os objetivos sejam "reais". "Mais importante do que estabelecer metas, é que elas sejam possíveis", frisa Paula. É importante, segundo ela, que as metas levem em direção ao objetivo. "Muita gente estabelece como meta emagrecer, mas é importante estabelecer quanto peso pretende perder e de que forma: vai praticar atividade física? Já decidiu qual atividade? Vai procurar um nutricionista?", exemplifica a psicóloga, destacando que quanto mais sincera for a resolução, mais chance dela ser concretizada.

Sem planejamento adequado ou metas possíveis, é comum haver frustrações nessa época, quando as pessoas começam a avaliar o que planejaram para o ano e percebem que não conseguiram concretizar os sonhos. "Sentimentos de tristeza podem ser decorrentes de frustrações por objetivos não realizados. Por isso é importante sermos carinhosos e cuidadosos com a gente mesmo nesse momento", sugere Paula.

Ela lembra que todo ano se vive e aprende coisas novas, mesmo que não sejam as que se imaginava, e que essas experiências podem ser positivas. "Podemos lembrar de momentos felizes? Se sim, já se caracteriza um ano bom", afirma. Caso a pessoa não se recorde de nenhum momento feliz no ano, é possível contar com a ajuda de um amigo, alguém da família ou mesmo um psicólogo. "Sempre há momentos felizes que ficam escondidinhos na memória", revela Paula.

A psicóloga reforça ainda que cada um pode escolher a qualquer momento abrir ou fechar um ciclo na sua vida, independente do período do ano. "Estamos sempre mudando e isso significa que por vezes vamos começar novos ciclos". O que vale, lembra Paula, é sempre avaliar e entender se os ciclos, se as metas ainda cabem em "nossas vidas, ou se podemos encerrá-los". E a psicóloga destaca que, apesar de não haver nada comprovado cientificamente, pode ser divertido nessa época do ano realizar alguns rituais, como comer alimentos que tragam sorte, vestir uma roupa de uma determinada cor ou pular as sete ondas. "Só não vale esperar que a sorte resolva tudo", brinca.

E ainda, apesar dessa época do ano muitas vezes ser tumultuada e gerar inquietações, é sempre uma boa oportunidade para relaxar e se divertir. "A rotina muda com os eventos típicos do período, as confraternizações, os encontros familiares, mas pode ser a oportunidade de passar um momento feliz com amigos e familiares e relaxar um pouquinho."
www.bonde.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário