sábado, 17 de outubro de 2015

PRESOS DE APODI TRABALHAM EM CONSTRUÇÃO DE CENTRO CIRÚRGICO

Detentos do Centro de Detenção Provisória “Agente Ronilson Alves da Silva” (CDP/Apodi), estão trabalhando na reforma da Maternidade Claudina Pinto, principal unidade de atendimento à saúde da mulher no município.

Nessa primeira fase, os internos estão trabalhando na ampliação do Centro Cirúrgico da unidade de saúde, com trabalhos de alvenaria, instalação elétrica e hidráulica. Mas os serviços serão ampliados para outros setores da maternidade, logo que o Centro Cirúrgico seja concluído.

Segundo o diretor do CDP Apodi, o agente penitenciário Márcio Morais, a equipe de internos que estão trabalhando é formada por pedreiro, pintor, carpinteiro e auxiliar de pedreiro.

“A Maternidade Claudina Pinto é uma instituição filantrópica, e tem ajudado aos apodienses, nada mais justo que os detentos do CDP Apodi ajudar e buscar fazer o melhor para nossa maternidade”, comentou Márcio Morais, destacando que praticamente toda mulher grávida do município passa pela Maternidade Claudina Pinto.

O Centro de Detenção Provisória (CDP) é conhecido pelos trabalhos de ressocialização. Os detentos fazem trabalhos comunitários em escolas, unidades de saúde, dentre outras instituições do município de Apodi. São 10 que realizam trabalhos de limpeza de toda área externa de escolas e unidades de saúde, com a execução de serviços de carpinteiro, roçagem e serviços na área da construção civil.

“O nosso trabalho conta com o apoio do Judiciário através da juíza da Comarca de Apodi, Kátia
Guedes Dias e do promotor, Silvio Ricardo Brito, todas as ferramentas utilizadas para o trabalho foram adquiridas através de uma parceria da direção do CDP Apodi com o Judiciário, os recursos são oriundos de penas Pecuniárias”, disse o diretor Márcio Morais.

O Centro de Detenção Provisória de Apodi foi construindo através de parcerias envolvendo a direção da unidade, Poder Judiciário, Ministério Público, Petrobrás, Fabricas de Cimento, Cerâmicas e várias outras instituições.

A unidade está com 100 internos cumprindo pena em regime fechado. A cada três dias de trabalho, o preso ganha um dia de remissão em sua pena.

Fonte: Mossoró Hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário