sábado, 2 de janeiro de 2016

MAIORIA ACREDITA EM MELHORA

Uma pesquisa do SPC Brasil mostra que há otimismo dos brasileiros com relação às finanças e à melhora da economia em 2016. Entre 601 consumidores entrevistados, nas 27 capitais brasileiras e no interior, 63% avaliam que o ano será melhor para suas finanças do que 2015, principalmente por acreditarem que a economia do país irá melhorar (45,3%), com destaque para os pertencentes às classes C, D e E. Outro motivo para 10,8% é manterem a esperança de conseguir um emprego.

Já entre os que não se mantém otimistas com o ano, 25,1% citam a deterioração do cenário econômico, enquanto 8,2% mencionam o medo de não conseguirem manter o padrão de vida atual. Em relação à percepção sobre a situação financeira em 2015 em comparação com o mesmo momento no ano anterior, os entrevistados apresentaram opiniões bem divididas: 34% acreditam que a situação piorou, 34% avaliam que a situação financeira continua a mesma de 2014 e 31% que melhorou.

Porém, o otimismo aparente dos brasileiros, apesar de relevante, não encontra respaldo na situação econômica vivida pelo país em 2015 e nem nas expectativas dos especialistas para 2016.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a queda da atividade econômica ao longo de 2015 resultou em um recuo do PIB de 3,2% no acumulado do ano, pior resultado da série histórica iniciada em 1996. "Para 2016, as projeções se mantém pessimistas: de acordo com o Banco Central, a expectativa é de um recuo adicional de cerca de 2%", explica Kawauti.

O SPC entrevistou consumidores de ambos os sexos e de todas as idades e classes sociais. A margem de erro é de no máximo 3,7 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%. A pesquisa foi divulgada em 29 de dezembro e também avaliou a intenção de compras para a passagem de ano, em 2015.

Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário